»

Mai 06

Viaje a Butão, o reino mais feliz do mundo

O reino mais feliz do mundo é provavelmente também o mais desconhecido no mundo ocidental. As nossas sociedades, impulsionadas pelo consumo após o fim da II Guerra Mundial, têm gerado um ritmo de vida acelerado marcadas pelo crescimento econômico. Por isso, consideramos que os Estados Unidos são a primeira potência mundial desde o seu Produto Interno Bruto (PIB) é o mais alto entre todos os países. A questão é … são também os mais felizes?

Se tentássemos responder à essa pergunta, imediatamente viriam muitas outas questões na cabeça. Você pode medir a felicidade? Se fosse o caso, quais os aspectos usaríamos para medir isso? Poderíamos ter a capacidade de governar um país com base nestes indicadores ao invés de usar puramente a economia? Bem, estes certamente foram algumas das abordagens que o Rei Dragão do Butão IV teve antes de criar o indicador de Felicidade Interior Bruta.

Em que se baseia o reino mais feliz do mundo?

Butão é uma monarquia constitucional situada no Sul da Ásia, na Cordilheira do Himalaia. Sua população não chega aos 800.000 habitantes e está dividida em 20 distritos. Sua história democrática mais recente começou em 2000, quando a monarquia absoluta deu lugar a monarquia constitucional que conhecemos hoje. Além disso, em 2008, entrou em vigor a primeira Constituição, depois de que se celebrassem as primeiras eleições parlamentares.

Agora, a dúvida é, que direção tomam a política pública aprovada pelo parlamento? A que objetivo comum estão focadas?  Em 2 de junho de 1974, em seu discurso de coroação, Jigme Singye Wangchuck disse: “A felicidade interna bruta é mais importante do que o produto interno bruto.” Ele tinha 18 anos e se tornou, após a morte de seu pai, o monarca mais jovem do mundo. Não se tratava apenas de um simples slogan. Desde aquele dia, a Felicidade Interior Bruta (FIB) tem orientado a política de Butão e seu modelo de desenvolvimento. Assim, o questionário utilizado pela instituição política para avaliar o clima de opinião no Butão é baseada em nove categorias:

  1. Bem estar psicológico
  2. Uso do tempo
  3. Vitalidade da comunidade
  4. Cultura
  5. Saúde
  6. Educação
  7. Diversidade Meio Ambiental
  8. Nível de vida
  9. Governo

Só se contabilizará uma pessoa como feliz quando ela tiver alcanzado o nível de suficiência em cada uma das nove dimensões.  O objetivo, resumidamente, é fazer com que a população seja feliz e possa desfrutar de mais tempo com a família e amigos, gozar de boa saúde e educação, vivendo entre a diversidade ambiental, tendo uma forte identidade comum, mantendo as suas raízes e promovendo as tradições culturais. Diferentemente da imensa maioria de países, o reino mais feliz do mundo não considera que o PIB seja o mais importante indicador para medir as riquezas de uma nação. Para Butão, o verdadeiro desenvolvimento da sociedade humana está no equilíbrio entre o desenvolvimento material e desenvolvimento espiritual.

Como viajar a Butão?

Hoje apresento uma viagem alternativa como excelência. Desde 2008, após o primeiro parlamento democrático do Butão, o reino mais feliz do mundo tem sido testemunha do grande impacto das suas políticas no exterior. A taxa de Felicidade Nacional Bruta foi estudada inclusive por pessoas com prêmios Nobel de Economia como Joseph Stiglitz e Armartya Sen, os quais eu recomendo a leitura se você se interessa por esses temas e de maneira barata com os descontos da Fnac.  Assim, a curiosidade sobre o país e o número de visitantes que recebe a cada ano só tem aumentado, mas a sua política de recepção de turistas continua sendo muito restritiva.

Honestamente, viajar ao reino mais feliz do mundo não é nada fácil nem barato, mas as recomendações das pessoas que visitaram nos deixam com uma vontade louca de conhecer essa incrível cultura se temos essa oportunidade. O primeiro que se deve saber se tem a intenção de conhecer o país é que se necessitará de um visto e que para obtê-lo é que você precisará contratar serviços de uma empresa no Butão. Também pode fazer com um intermediário, mas logicamente ele cobrará um extra por isso.

Deve ter em conta também você não pode ir sozinho, é necessário contratar um guia. Os preços são fixados pelo governo do Butão e não são negociáveis.  Sim, eles incluem – a parte do guia – um motorista, refeições e serviços de transporte. É bom saber que, apesar dos preços elevados, aproximadamente 30% do pagamento é uma taxa que é definida como a construção de escolas e hospitais em áreas rurais do país.

Em suma, se você quiser cruzar a fronteira para este pequeno reino, deve voar para os aeroportos de Delhi ou Calcutá e, em seguida, para o Butão, especialmente no Aeroporto Internacional de Paro. Meu conselho é que primeiro compare voo entre as empresas aéreas como eDreams ou Momondo. Em seguida, procure descontos nas páginas que oferecem vôos internacionais como a Iberia, a Emirates e a Qatar Airways. A outra opção é para chegar às cidades indianas de Bagdogna ou Guwahati, e a partir daí escolher ir viajando pela estrada.

Conselhos para reduzis os gastos do preço final da viagem a Butão

Dado que visitar o reino mais feliz do mundo vai custar muito mais tempo e dinheiro do que qualquer outra viagem que você poderia planejar, você deve considerar os seguintes pontos para, pelo menos, o orçamento não ficar pesado demais:.

  1. Dedique 5 dias para visitar o país. É o número que mais se repete em foros e blogs de opinião sobre viagens ao Butão. Com esses dias vocês poderá visitar os lugares mais emblemáticos e conhecer um pouco da cultura, sem pressa e podendo desfrutar 100% de cada momento.
  2. Comece a economizar desde já, mês a mês.
  3. Aproveitar as temporadas baixas para viajar. Levar em conta que o voo não será direto até Butão, então é bom buscar quando é a temporada baixa na Índia e assim economizar bastante com o valor do voo!
  4. Para economizar tempo e dinheiro uma vez estando no Butão consiga um guia do país. Se  sabe inglês esse aqui poderá ser útil.

Se você gostou desse post recomendo que leia também o post sobre como organizar um acampamento ao ar livre e como organizar sua viagem para os Jogo Olímpicos do Rio 2016.

Se você tem mais dicas sobre o país ou a viagem para lá compartilhe conosco, ficaremos muito felizes com a sua colaboração.